domingo, 30 de janeiro de 2011

Meu Amor, Minha Flor, Minha Menina

"Meu Amor, Minha Flor, Minha Menina
Meu amor minha flor minha menina
Solidão não cura com aspirina
Tanto que eu queria o teu amor
Vem me trazer calor, fervor, fervura
Me vestir do terno da ternura
Sexo também é bom negócio
O melhor da vida é isso e ócio
Isso... e ócio...

Minha cara, minha Carolina
A saudade ainda vai bater no teto
Até um canalha precisa de afeto
Dor não cura com penicilina

Meu amor minha flor minha menina
Tanto que eu queria o teu amor
Tanto amor em mim como um quebranto
Tanto amor em mim, em ti nem tanto

Minha cora minha coralina
mais que um goiás de amor carrego
destino de violeiro cego

Há mais solidão no aeroporto
Que num quarto de hotel barato
Antes o atrito que o contrato

Telefone não basta ao desejo
O que mais invejo é o que não vejo
O céu é azul, o mar também

Se bem que o mar as vezes muda,
Não suporto livros de auto-ajuda
Vem me ajudar, me dá seu bem

Meu amor minha flor minha menina
Tanto que eu queria o teu amor
Tanto amor em mim como um quebranto
Tanto amor em mim, em ti nem tanto

http://www.vagalume.com.br/zeca-baleiro/meu-amor-minha-flor-minha-menina.html#ixzz1CZEgkcl7..."
video

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Beija-Flor

"O que faz o beija - flor
Ter vontade de voar?
Vai e diz ao meu amor
O que viu do meu penar

Vai dizer ao meu grande amor
Que eu sempre vou tão só
Diz também para o meu amor
É só voltar, beija - flor

O que faz o beija - flor
Ter lampejos cor do mar?
Quando eu penso em você
Meu desejo é navegar


O que faz o beija - flor
Ter mais prata que o luar
Faz o mel da tua flor
Ser mais doce ao paladar

Vai dizer ao meu grande amor
Que eu sempre estou e vou tão só
Diz também para o meu amor
É só voltar, beija - flor

Quando riscas o céu
És mais doce que o mel
Que tiras da flor
Mais do que viver
Só te importa voar ... Beija - flor

O que faz o beija - flor
Ter vontade de voar?
Vai e diz ao meu amor
O que viu do meu penar

Vai dizer ao meu grande amor
Que eu sempre vou tão só
Diz também para o meu amor

É só voltar, beija - flor
É só voltar, beija - flor
É só voltar, beija - flor
É só voltar ..." video

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

RECOMENDO....

http://canteumconto.blogspot.com/

UM PASSEIO MÁGICO NO UNIVERSO, INFANTIL, MUSICAL E DE HISTORINHAS...

sábado, 15 de janeiro de 2011

Saudades do Mar

Saudade de Mar...

"Saudade é um pouco como fome. Só passa quando se come a presença.
Mas às vezes a saudade é tão profunda que a presença é pouco: quer-se absorver
a outra pessoa toda. Essa vontade de um ser o outro para uma unificação inteira
é um dos sentimentos mais urgentes que se tem na vida."

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Música das Algas...

"Algum dia você vai ver
Cercado por anjos
Que Flutuar em cima do mar....
......
A maré atinge o queixo
...A pele coça algas
e, basta deixar a água ganhar..."

video

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Mar-inheiro doce leva a sereia pro mar.

A-Mar
O amado.
Há o
Mar
Amado!


video

Mergulho entre palavras, como quem navegou num barquino de papel... e jamais se esquecerá como são as águas do Mar...




Bom mesmo é mergulhar nas palavras. Elas se sentidas se transformam em corpo e transbordam em gestos... Essas que aqui reescrevo me tocam com mãos delicadas. Ei você pode me escutar? Ei, ei você pode me escutar? Tenho algo a lhe contar:


"RECEITA PARA LAVAR PALAVRA SUJA

Mergulhar a palavra suja em água sanitária.
depois de dois dias de molho, quarar ao sol do meio dia.
Algumas palavras quando alvejadas ao sol
adquirem consistência de certeza. Por exemplo a palavra vida.

Existem outras, e a palavra amor é uma delas,
que são muito encardidas pelo uso, o que recomenda esfregar e bater insistentemente na pedra, depois enxaguar em água corrente.

São poucas as que resistem a esses cuidados, mas existem aquelas.
Dizem que limão e sal tira sujeira difícil, mas nada.
Toda tentativa de lavar a piedade foi sempre em vão.

Agora nunca vi palavra tão suja como perda.
Perda e morte na medida em que são alvejadas
soltam um líquido corrosivo, que atende pelo nome de amargura,que é capaz de esvaziar o vigor da língua.

O aconselhado nesse caso é mantê-las sempre de molho
em um amaciante de boa qualidade. Agora, se o que você quer é somente aliviar as palavras do uso diário, pode usar simplesmente sabão em pó e máquina de lavar.

O perigo neste caso é misturar palavras que mancham
no contato umas com as outras.
Culpa, por exemplo, a culpa mancha tudo que encontra e deve ser sempre alvejada sozinha.

Outra mistura pouco aconselhada é amizade e desejo, já que desejo, sendo uma palavra intensa, quase agressiva, pode, o que não é inevitável, esgarçar a força delicada da palavra amizade.

Já a palavra força cai bem em qualquer mistura.
Outro cuidado importante é não lavar demais as palavras
sob o risco de perderem o sentido.

A sujeirinha cotidiana, quando não é excessiva,
produz uma oleosidade que dá vigor aos sons.

Muito importante na arte de lavar palavras
é saber reconhecer uma palavra limpa.

Conviva com a palavra durante alguns dias.
Deixe que se misture em seus gestos, que passeie
pela expressão dos seus sentidos. À noite, permita que se deite, não a seu lado mas sobre seu corpo.

Enquanto você dorme, a palavra, plantada em sua carne,
prolifera em toda sua possibilidade.

Se puder suportar essa convivência até não mais
perceber a presença dela, então você tem uma palavra limpa.

Uma palavra LIMPA é uma palavra possível...."

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

"Eu que não sei quase nada do Mar .."

"Garimpeira da beleza te achei na beira de você me achar
Me agarra na cintura, me segura e jura que não vai soltar
E vem me bebendo toda, me deixando tonta de tanto prazer
Navegando nos meus seios, mar partindo ao meio, não vou esquecer.

Eu que não sei quase nada do mar descobri que não sei nada de mim

Clara noite rara nos levando além da arrebentação
Já não tenho medo de saber quem somos na escuridão

Clara noite rara nos levando além da arrebentação
Já não tenho medo de saber quem somos na escuridão

Me agarrei em seus cabelos, sua boca quente pra não me afogar
Tua língua correnteza lambe minhas pernas como faz o mar
E vem me bebendo toda me deixando tonta de tanto prazer
Navegando nos meus seios, mar partindo ao meio, não vou esquecer

Eu que não sei quase nada do mar descobri que não sei nada de mim

Clara noite rara nos levando além da arrebentação
Já não tenho medo de saber quem somos na escuridão

Clara noite rara nos levando além da arrebentação
Já não tenho medo de saber quem somos na escuridão.."

video

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

UM SAMBA PRA NAVEGAR



INSPIRADO EM: (Pinturas de Renata Rodrigues) E Grupo de Percussão Popular Balaio Geral (http://www.myspace.com/percussaopopular)

UM SAMBA PRA NAVEGAR

Andei por lá
Diga manhinha que eu andei por lá
Dei de cara com águas de mares calmos
Andei por lá
Manhinha andei por lá
Agora já sei o caminho para navegar

Andei por lá
Corri por lá
Agora já sei sobre o barquinho que passa por aquele lugar
Segui na direção do coração
Ai que eu senti o que é não atracar
Ai que eu senti porque o samba pode encantar

Andei por lá
Andei por lá
Por ali onde a poesia encontra o som
Ai foi que eu vi a lua
Ai foi que eu virei num passo

Andei por lá
Andei por lá
A lua era luz
O vento veloz
E o barquinho um sujeito com graça nas mãos
Ai que eu disse
Não espere a próxima embarcação
Tô na beira do mar
Vem me buscar?

Marina Clemente de Oliveira (Noite de Inverno e rajadas de ventos....)

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

IMENSO MAR....

Há um anjo bom por perto
Ele é quem transforma as águas
O barquinho dele é de papel
E mesmo assim se faz em asas
E Vôa...

Há um mar
E submerso a ele um par...
De olhos?
Por vezes ele se contém atracado ao cais
Mas, quando deságua
Responde a pergunta de dentro de seu íntimo:
Quem sou?

Ora,
Há também uma coleção de sons
E não apenas nas tempestades
O ser também berra quando o mundo fica mudo
E...
É quando perde-se o ar
Talvez sejam os resquícios da infância vivida

Porque não chorar?
Há um ser
Que quando se transformou em um adulto
Não se esqueceu como muitos o que é amar

Ama
Pai
Mãe
Pessoas
E gentes

Há um barquinho de papel
E para levá-lo
Sons
E.... versos
Carrega-me, contigo?
Você sabe voar.....

Marina .C
(Numa tarde não qualquer de Outono) video

A LUA E O MAR

A LUA E O MAR

Foi num momento assim
Ela lua
Ele mar
Imensidões

Foi num momento assim
Ela astro
Ele rastro
Encontros

Foi num momento assim
Como o do mundo nas mãos
Ela luz
Ele azul
Ela seca
Ele inundando-a

Foi num momento assim
Ela amor
Ele também.